Na última quinta-feira (06), o secretário estadual de saúde, André Longo, confirmou 31 casos de dupla infeccção de Covid-19 e Influenza A H3N2, após as festas de fim ano. Esse aumento tem causado uma preocupação nos comerciantes, pois com o índice de contaminação aumentando, o risco de implementarem restrições para fechar o comércio podem aparecer.

Não só o coronavírus vem preocupando, mas também esse novo surto de gripe, a Influenza A H3N2. Segundo dados do Governo, o número de solicitações por leitos de UTI e de enfermarias para pacientes com problemas respiratórios cresceu 858%, nas semanas entre 21 de dezembro e 4 de janeiro.

Três anos se passaram, e Pernambuco atualmente vive uma epidemia – a gripe Influenza A H3N2 – junto a pandemia do Covid-19. O apelo feito por toda classe do movimento lojista é que a população continue respeitando as diretrizes da OMS (Organização Mundial da Saúde), o uso de máscara é muito importante e álcool em gel, não é hora de baixar a guarda, pois o prejuízo é para todos.

“É mais um momento preocupante, esse que estamos vivendo, peço para que os Pernambucanos se vacinem tanto para a Covid-19, quanto para a gripe. A perda de vidas devido às doenças, o fechamento de empresas e o aumento do desemprego é algo que já passamos e por isso não podemos deixar esse cenário voltar. São tempos atípicos, e nós do movimento lojistas sofremos muito com as medidas restritivas, não queremos que isso nos atinja novamente”, comenta o presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas, Eduardo Catão.

#

No responses yet

Deixe uma resposta

Or

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *