Alguns dos candidatos à vaga de Presidente da República participaram nessa terça-feira (14) do Debate Eleitor promovido pela União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços (Unecs). Estiveram debatendo no evento sobre política econômica, mercado financeiro, empreendedorismo dentre outros assuntos, os presidenciáveis Álvaro Dias, Henrique Meirelles, Ciro Gomes, Geraldo Alckmin e Fernando Haddad, representando o PT.

O primeiro participante do Diálogo Unecs com candidatos à Presidência da República, foi o senador Álvaro Dias (Podemos), que defendeu guerra contra atual modelo político. Dias mencionou que seu plano de governo inclui 19 metas, que englobam reformas como a da Previdência e o corte de despesas para zerar o déficit público.

Logo em seguida foi a vez do candidato Ciro Gomes (PDT). O político apresentou suas ideias sobre a reforma tributária, com exemplo de medidas para tornar a tributação sobre comércio e serviços mais eficiente. Ciro ainda afirmou que o endividamento de famílias e das empresas é uma trava que precisa ser solucionada. Acrescentou ainda que há um colapso do setor público cuja solução precisa ser debatida. “O Brasil tem que dedicar os seis primeiros meses do novo governo a uma discussão sobre reformas”, pontuou. Ciro sugeriu a transferência de incidências de impostos dos rendimentos para os resultados, unificação de tributos e a adoção de um Imposto Sobre o Valor Acrescentado (IVA), que incida sobre a despesa ou consumo das transações efetuadas pelo contribuinte.

O aspirante ao Planalto Henrique Meirelles (MDB) começou sua participação reforçando que é preciso restabelecer a confiança no governo e destacou que, em 2017, quando foi Ministro da Fazenda, foram gerados dois milhões de empregos no país. Meirelles ressaltou que, nos primeiros cem dias de governo, pretende focar em reforma tributária, reforma da Previdência e choque de produtividade, acrescentando que a viabilidade das medidas passa pela redução das despesas públicas.

Representando o ex-presidente Lula, que encabeça a candidatura do PT à presidência da República, o candidato a vice-presidente Fernando Haddad declarou intenção de expandir projeto de desburocratização para abertura de empresas já praticado na capital paulista. Quando questionado sobre sobre a desburocratização do ambiente de negócios e a importância do crédito para empreendedores, Haddad deu o exemplo do programa posto em prática na cidade de São Paulo, durante sua gestão, que reduziu o tempo médio para a abertura de empresas de 120 para sete dias. Hadda destacou ainda que que as primeiras medidas do governo petista envolverão a reforma do sistema bancário.

O evento foi finalizado com o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin. O candidato começou sua participação manifestando sua intenção em zerar o déficit primário nos dois primeiros anos de governo. Alckmin expôs que nos primeiros meses como presidente possui a intenção de dar início à agenda de competitividade, com ênfase nas reformas, tributária, previdenciária e política. Quando questionado sobre a desburocratização do ambiente de negócios, o candidato se posicionou pela redução do Estado como forma de estimular empreendimentos.

Os detalhes completos podem ser conferidos no site da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

#

No responses yet

Deixe uma resposta

Or

O seu endereço de email não será publicado.