Depois da queda nas vendas acarretadas pela greve dos caminhoneiros, os lojistas do estado veem na Copa do Mundo, no Dia dos Namorados e no São João as oportunidades de contornar essa situação. No Estado, o otimismo dos empresários é moderado com relação à expectativa das vendas, que devem crescer entre 2% e 3% no período.

De acordo com o presidente da CDL de Jaboatão dos Guararapes, Paulo Maranhão, a maior movimentação no comércio deve se dar principalmente nos dias que antecedem o início da Copa e o Dia dos Namorados. “Com o dinheiro apertado, o brasileiro acaba deixando as compras sempre para última hora. Mas estamos esperando uma reação de última hora”, comenta. E, se a seleção brasileira ganhar os jogos, as vendas tendem a ganhar um impulso maior durante a Copa. “Se o Brasil começar ganhando, o povo se sente mais incentivado e começa a comprar mais”, afirma Paulo.

No Agreste e no Sertão, o movimento do comércio está voltado para o Dia dos Namorados e São João. Em Caruaru, tida como a capital do forró, a procura é por roupas, calçados e acessórios voltados ao clima junino. Já em Garanhuns, os produtos mais procurados são do setor de vestuário, calçado e perfumaria, visando o presente do Dia dos Namorados. “A CDL está promovendo ações de divulgação e de incentivo para as vendas dessas datas. A expectativa é que o volume de vendas fique estável, se equiparando ao do último ano”, afirma Geraldo Nogueira, presidente da CDL Garanhuns.

Para a Copa do Mundo, como de costume, os segmentos que devem ter vendas mais expressivas no período são o de eletroeletrônicos, com destaque para os televisores, e o esportivo, com maior saída de camisas e bolas de futebol.

Com a Copa, é de costume que estabelecimentos tenham horários mais flexíveis para os dias de jogos da seleção. O fechamento das lojas pode acarretar numa diminuição das vendas, mas os lojistas estão preparados para essa conjuntura. “Os horários dos jogos da Copa do Mundo vão com certeza atrapalhar o comércio, porque você vai perder sempre o turno em que a partida for realizada. Durante os jogos o consumidor deixa de ir para a rua e muitas lojas fecham. Esses são os lados negativos desse período, mas como já sabemos que teremos esses problemas, o importante é se empenhar mais nos dias normais para recuperar esses dias de funcionamento diferenciado”, comenta Eduardo Catão, Presidente da Federação das CDLs de Pernambuco.

Funcionamento na Copa

Nos dias dos jogos do Brasil, o cliente deverá ficar atento ao funcionamento das lojas, que varia para cada cidade. Em alguns casos, pode ocorrer o fechamento do estabelecimento durante o horário dos jogos e a reabertura após o término. Em outros, possa ser que o fechamento da loja vá até o fim do período comercial.

A FCDL-PE orienta que o consumidor entre em contato com as lojas com antecedência para verificar o horário de funcionamento nos dias de jogos do Brasil.

Nacional

Um estudo realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) revela que três em cada dez (33%) micro e pequenos empresários dos ramos do comércio e serviços estimam que as vendas dos setores como um todo aumentem no período dos jogos. Outros 19% enxergam uma queda no volume de vendas, enquanto 47% acham que o torneio não terá impacto no resultado dos segmentos. Entre os que projetam crescimento nas vendas da própria empresa (20%), a estimativa é de que o volume médio de vendas seja 27% superior ao mês anterior do mundial.

O estudo também revela que as promoções são a grande aposta para atrair o consumidor (42%). Cerca de 20% dos empresários têm a intenção de ampliar seus estoques e 10% de contratar mais funcionários. Por outro lado, a maioria dos empresários entrevistados (80%) sinalizou que não pretende fazer algum tipo de investimento especial

Já para o Dia dos Namorados, o levantamento feito pela entidades mostra que 62% dos brasileiros devem ir às compras, o que deve injetar aproximadamente 15,6 bilhões de reais na economia.

A pesquisa mostrou ainda que os itens que mais serão procurados neste ano são as roupas (41%), perfumes ou cosméticos (34%), calçados (22%) e jantares (18%). Completam o ranking os bombons e chocolates (17%) e acessórios, como bijuterias, cintos, óculos e relógios (17%).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *