A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) pernambucano mostrou uma queda no percentual de endividados entre os meses de fevereiro e março de 2018, o indicador que estava em 67,9% recuou para 66,8%, porém, no comparativo anual, o resultado é superior, pois a proporção de endividados se encontrava em 65,5%. A queda é recebida como sinalização positiva, refletindo uma melhora na educação financeira das famílias, que mesmo com um apertado orçamento de início de ano, impactado por pagamentos de impostos, despesas com educação e gastos com comemoração de datas como carnaval, conseguiu ajustar o nível de consumo e utilizar o pagamento a vista para as compras da Sexta-feira Santa e do Domingo de Páscoa. Os tradicionais alimentos para o almoço da Semana Santa, segundo o IPCA, mostraram estabilidade, sem pesar no bolso dos consumidores, em contrapartida, os valores dos ovos de chocolate mostram crescimento, o que pode segurar um desempenho das vendas do comércio no período.

Segundo a pesquisa, o Estado de Pernambuco possui 338.596 mil famílias endividadas, queda de 5.552 lares entre em um mês e acréscimo de 8.893 no ano. Vale destacar também que este é o melhor resultado dos últimos quatro meses, espera-se mais uma queda no mês de abril, com altas sucessivas nos meses de maio e junho, devido à comemoração do Dia das Mães, segunda data mais importante para o varejo em termos de volume de vendas, além do Dia dos Namorados e do São João, em junho, com ambas as datas também aquecendo o comércio devido à elevação na intenção de consumo dos pernambucanos nos últimos meses.

As famílias que possuem contas em atraso atingiram os 28,6%, seguindo o movimento de queda mensal e alta anual, que registraram percentuais de 30,6% e 23,9%, respectivamente. Estas famílias mostram maior dificuldade no pagamento de suas dívidas, com orçamento mais apertado, o que continua impossibilitando honrar todos os pagamentos do mês. Atualmente, no Estado, existem 145.005 famílias com alguma conta em atraso, recuo mensal de 9.930 e anual de  24.614 lares. Mesmo com o crescimento anual no número de endividados, a taxa de março de 2018 é a menor desde maio de 2017, quando o percentual chegou a 27,3%.

Já a parcela da população com a situação mais crítica, que são aquelas que informam não ter mais condições de pagar as suas dívidas, o que geralmente ocorre com a maioria de desempregados dentro do Estado, mostrou percentual de 16,4%, o que corresponde a 83.149 mil famílias inadimplentes, uma melhora em relação ao mês anterior e uma piora comparado com o mesmo mês do ano anterior, quando os números eram de 89.519 e 79.118, respectivamente.

Quando se analisa o resultado por tipo de dívida, verifica-se que o tipo mais apontando ainda é o cartão de crédito, atingindo 93,1%, seguido do endividamento com carnês e o crédito pessoal, que representam 26,2% e 10,5%, respectivamente. Por fim, a pesquisa informa também que a maioria das famílias endividadas comprometem a renda com dívidas em um percentual que se encontra entre 11% e 50%.

Fonte: Fecomércio-PE

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *