Pela primeira vez, desde que foi instituída, os pernambucanos irão comemorar a Data Magna com um feriado estadual. O dia escolhido foi 6 de março, que marca o início da Revolução Pernambucana de 1817, considerado o primeiro movimento em prol da independência do Brasil. Apesar da data comemorativa, a inserção de mais um feriado no calendário deve trazer prejuízos para o comércio de Pernambuco. “O comércio já vem sofrendo com a crise e ter muitos feriados atrapalha ainda mais nossa recuperação. Como esta vai ser a primeira vez que acontece esse feriado, não temos ainda como medir o impacto precisamente. No entanto, a data cai no início do mês, período em que mais se circula dinheiro no comércio e isso com certeza não vai ser bom”, afirma o presidente da CDL Serra Talhada, Marcus Gusmão.

Até 2017, o feriado era um ponto facultativo e a data magna era comemorada no primeiro domingo do mês de março, conforme a Lei nº 13.835, de 2009. Com a aprovação, em junho de 2017, do projeto de lei de autoria dos deputados Teresinha Nunes (PSB) e Isaltino Nascimento (PSDB), a data oficial passou a ser 6 de março, que este ano cai numa terça-feira. “É um feriado válido e entendo que é importante ter esta data comemorativa, mas estamos numa transição econômica difícil, em que mais um feriado não será bom para o comércio”, opina o presidente da CDL Petrolina, Manoel Vilmar. Na cidade, todo o comércio irá fechar.

Com a promulgação da lei, criou-se mais um feriado entre o Carnaval e a Semana Santa, períodos que geralmente trazem prejuízos para o comércio devido aos muitos dias sem abrir. “Em um momento desse, o que estamos precisando é produzir. Mais um feriado vai ser prejudicial nisso. Já tivemos o feriado de Carnaval e agora teremos, em breve, o da Semana Santa. Porque não comemorar como se vinha fazendo, no primeiro domingo de março? Tenho certeza que poderíamos participar mais ativamente da comemoração, sem prejudicar o comércio”, comenta Eduardo Catão, presidente da Federação das CDLs de Pernambuco.

Tendo como principais atividades econômicas o comércio e o setor de serviços, Caruaru, a exemplo de outras cidades do estado, deve sofrer um grande impacto negativo com essa mudança.  “O feriado vai atingir toda atividade econômica de Caruaru e do Agreste. Não é apenas o comércio que fecha, mas também indústrias, bancos. São serviços que o consumidor deixa de ter acesso. Será mais uma data cujo prejuízo não tem como recuperar depois”, aponta Adjar Soares, presidente da CDL Caruaru.

Feriados

Em 2018, os pernambucanos terão um total de 15 feriados. Desses, 12 irão cair em dias úteis e três cairão nos sábados. Além da segunda-feira de Carnaval, outros cinco dias são candidatos a “imprensados”, o que pode elevar os dias de folga para um total de 21 em todo o estado.

De acordo com dados da Confederação Nacional do Comércio (CNC), por cada feriado de 2017, o varejo no país deixou de lucrar R$ 1,5 bilhão, o que representa uma perda mensal de  9%. Para 2018, a estimativa é de que o comércio nacional possa perder R$ 22 bilhões em vendas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *